" /> Bairro Antonio Bezerra. Com. Br - JOÃO BERTOLDO DA MOTA
   
   

Pesquisa no Site

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Livro de Visitas

Nossa Cidade

Sobre o Site

Menu

JOÃO BERTOLDO DA MOTA imag1
Home / JOÃO BERTOLDO DA MOTA

JOÃO BERTOLDO DA MOTA

 

     JOÃO BERTOLDO DA MOTA. Filho de Januário Francisco da Mota e Úrsula Maria de Lima,nasceu em Pentecoste Ceará em 29 de março de 1880 e faleceu a 27 de março de 1974 em Antonio Bezerra,Fortaleza onde reside a maior parte de seus familiares.

    Casou-se com Úrsula Braga Cavalcante em 30 de dezembro de 1904,de quem era parente. Do casal nasceram três filhos: José,Maria e Nazaré. Viúvo em 19l5,achou conveniente casar-se com outra parenta,tambem de nome Úrsula cujo nome completo era Úrsula Teixeira Mota e que não teve filhos.

    Sertanejo, trabalhador e econômico,sobretudo sincero, bom conselheiro e chefe de família exemplar, dedicava com austeridade os momentos de sua vida à agricultura,pequenos labores de simples mão de obra e era feliz para ganhar dinheiro com seus grandes esforços no trabalho. Foi proprietário de diversos sítios e fazendas de criar gado e tinha como lema de vida apoiar o homem que trabalha, ou seja, o homem rural com seu rude labor.

    Católico romano,sabia escrever um pouco e lia bem. De folga das labutas do dia a dia,tinha por hábito ler as Sagradas Escrituras,que sabia quase tudo de cor e estimava comentar suas diversas passagens. Consagrava seu carinho e sua vida às crianças e indistintamente dedicava o afeto com todas e caritativo com as necessitadas de meios de sobrevivência. Tinha para com as crianças e animais domésticos - os dois grandes motivos de sua dedicação e ternura. Ao deparar-se com os últimos fazia logo gestos de agrado e nenhum resistia sem ficar domesticado ou lhe querendo bem. Não tomava bebida alcoólica nem café e apreciava sobretudo frutas,doces e leite.

    O que mais chamou a atenção de todos que o observaram no decorrer de sua vida, foram seus hábitos simples aliados a seu caráter humilde e humanitário. Nem só numa situação calamitosa de uma seca mas em qualquer ocasião em que se fizesse necessário sua ajuda material,colocava à disposição de quem o procurasse os recursos de que dispusesse. O homem que não sabia dizer "não" chegava a esgotar a um tempo as reservas de primeira necessidade indistinta e independentemente de retribuição em benefício do próximo a quem tanto amava. Viveu uma vida fazendo o bem, semeando bondades porque foi um homem bom.

(JOÃO BERTOLDO DA MOTA,visto por seu neto Francisco Adonias Mota).

 

Indique esta página a um amigo! Preparar para Impressão

Publicidade

Colunas BAB

Por Rossana_Brasil

Contagem regressiva ...

29 Dec 2020
...No ano que vem, eu irei emagrecer, parar de fumar, arrumar um amor, praticar exercícios, ganhar dinheiro, mudar de emprego e por aí vai...
Por leonardofsampaio
Este é um instrumento que tem por finalidade divulgar produções literárias, poéticas, culturais e ambientais

Vende-se um açude!!!

16 Mar 2020
"...Pelo visto, não basta só se indignar, é necessário gritar, ou até acampar exigindo atitudes dos gestores públicos..."
Por VALENTIM

Os precursores da fotografia no Antônio Bezerra

27 Jan 2020
"...Outro foto bastante conhecido dos moradores de Antonio Bezerra foi o saudoso “Foto Iracema” pertencente inicialmente ao Luiz Magrinho, localizado na Rua Hugo Victor nº 44..."
Por Robson
Conteúdo sobre a RCC, Renovação Carismática Católica

Vamos ser julgados!

04 Jan 2021
...Olhe para você. Tens cuidado de você? Você é uma casa, comprada por um alto preço! Tens cuidado de você?...