" /> Bairro Antonio Bezerra. Com. Br - Randolfo Serrano Bezerra de Menezes
   
   

Pesquisa no Site

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Livro de Visitas

Nossa Cidade

Sobre o Site

Menu

Randolfo Serrano Bezerra de Menezes imag1
Home / Randolfo Serrano Bezerra de Menezes

Randolfo Serrano Bezerra de Menezes

 

Randolfo Serrano Bezerra de Menezes nasceu no dia 4 de dezembro de 1889. Por ter nascido na Serra de Maranguape foi apelidado de Serrano, nome pelo qual era conhecido por todos. Pediu e conseguiu juridicamente incorporar ao seu nome o apelido.

Era filho de Antônio Bezerra (escritor e abolicionista) e de D. Joana Bezerra de Menezes, mulher dedicada e excelente mãe, que cativava as pessoas que a rodeavam com sua simplicidade e meiguice, conquistando assim o apelido carinhoso de “Noca”.

Criou em 1912, em Quixadá, o Instituto Cura D’Ars. Atendendo a solicitação de várias autoridades da zona jaguaribana, transferiu o seu instituto para a cidade de riacho do sangue, hoje denominada Jaguaretama, que funcionou até 1922.

Retornando a Quixadá fundou, juntamente com o seu filho Francisco de Assis Bezerra, o Ginásio Santo Antônio, que funcionou até quando o seu fundador foi acometido de pertinaz enfermidade. Obrigou-se então a vir embora para Fortaleza, indo residir em Antônio Bezerra, antigo Barro Vermelho, cujas terras pertenciam a sua família.

Os seus ex-alunos, alguns ainda vivos, dizem que não sentiram dificuldades na continuação dos seus estudos nos cursos superiores em virtude da sólida base de conhecimentos adquiridos no curso primário, sob a direção do Professor Serrano Bezerra. Exemplo vital de abnegacção e facilidade de transmitir ajudaram muitos deles a formarem-se médicos, advogados, engenheiros ou seguirem outros ramos da atividade humana.
Além de professor, Serrano Bezerra exerceu o cargo de Prefeito de Parangaba, de 1923 a 1929, quando aquele atual distrito de Fortaleza era Vila.

Homem muito dedicado aos livros, falava corretamente o inglês e o francês. Dono de uma simplicidade invulgar, nunca chegou a formar-se, mas a sua vasta cultura colocava-o entre as maiores figuras das letras de nossa terra.

Profundamente religioso, fundou Conferências Vicentinas em Quixadá, Jaguaretama, Parangaba e Antônio Bezerra.
Colaborou com vários jornais de Fortaleza, especialmente no antigo Correio do Ceará, tendo como tema principal de seus escritos a educação e a cultura.

Casou-se em Quixeramobim(1913) com D. Carolina de Castro Bezerra, de cujo consórcio tiveram cinco filhos: Francisco de Assis, casado com Joana Cordeiro Bezerra(Cordeirinha) e Maria, casada com Acióli Bezerra.
Durante os seis anos de enfermidade, nunca deixou de ensinar aqueles que iam a sua casa em busca do saber, ministrando-lhes o Português, a Geografia, a História, as Ciências Naturais, etc.

Faleceu de câncer, em Fortaleza, no dia 21 de setembro de 1959.

Indique esta página a um amigo! Preparar para Impressão

Publicidade

Colunas BAB

Por Rossana_Brasil

Contagem regressiva ...

29 Dec 2020
...No ano que vem, eu irei emagrecer, parar de fumar, arrumar um amor, praticar exercícios, ganhar dinheiro, mudar de emprego e por aí vai...
Por leonardofsampaio
Este é um instrumento que tem por finalidade divulgar produções literárias, poéticas, culturais e ambientais

Vende-se um açude!!!

16 Mar 2020
"...Pelo visto, não basta só se indignar, é necessário gritar, ou até acampar exigindo atitudes dos gestores públicos..."
Por VALENTIM

Os precursores da fotografia no Antônio Bezerra

27 Jan 2020
"...Outro foto bastante conhecido dos moradores de Antonio Bezerra foi o saudoso “Foto Iracema” pertencente inicialmente ao Luiz Magrinho, localizado na Rua Hugo Victor nº 44..."
Por Robson
Conteúdo sobre a RCC, Renovação Carismática Católica

Vamos ser julgados!

04 Jan 2021
...Olhe para você. Tens cuidado de você? Você é uma casa, comprada por um alto preço! Tens cuidado de você?...