" /> Bairro Antonio Bezerra. Com. Br - CEMITÉRIOS REPRESENTAM RISCOS AMBIENTAIS
   
   

Pesquisa no Site

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Livro de Visitas

Nossa Cidade

Sobre o Site

Menu

Open in new window

CEMITÉRIOS REPRESENTAM RISCOS AMBIENTAIS imag1
 Colunas BAB 
HomeColunas BABValentim Santos • CEMITÉRIOS REPRESENTAM RISCOS AMBIENTAIS

Valentim Santos

CEMITÉRIOS REPRESENTAM RISCOS AMBIENTAIS

Imprimir artigo Enviar este artigo para um amigo. 
Hoje se fala muito sobre a importância da preservação do meio ambiente em rios, lagoas, ar e mar. Mas os cemitérios também passaram a ser motivo de preocupação dos ambientalistas, por que muitos não são ecologicamente corretos.

Não existe uma norma de segurança ambiental determinada pelos órgãos que fiscalizam eventuais contaminações. Os cadáveres se tornam perigosos poluentes, seu processo de decomposição leva, em média dois anos e dá origem a um líquido chamado necrochorume, que e composto por 60% de água, 30% de sais minerais e 10% de substancia orgânicas, sendo duas altamente tóxica, putresina e a cadaverina.

Estas substanciam são eliminadas durante o primeiro ano após seu sepultamento, são líquidos viscoso, com a coloração acinzentada que, com a chuva, podem atingir o aqüífero freático, ou seja, pode chegar nas águas subterrânea de pequenas profundidades.

Recentemente foi divulgada uma pesquisa realizada pelo geólogo e professor Leziro Marques Silva que pesquisa há 30 anos sobre o tema, verificou a situação em 600 cemitérios do País. Cerca de 70% dos cemitérios poluem o meio ambiente. Primeiro porque não tomam o devido cuidado com o sepultamento dos cadáveres. O ideal e, que exista um limite de três metros acima do lençol freático, depois, pela localização em terrenos inapropriados. Na mesma pesquisa foi verificado que a cremação também é fator poluente, com a emissão de gases na atmosfera, caso os equipamentos utilizados não estejam instalados de forma conveniente.

Existe uma resolução do CONAMA, (CONSELHO NACIONAL MEIO AMBIENTE), órgão colegiado do Ministério do Meio Ambiente, foi o primeiro instrumento de alcance nacional a regulamentar a instalação e o funcionamento de cemitérios no Brasil. Os administradores dos cemitérios vão ter de cumprir uma série de exigências, como a manutenção de distancia mínima de 2m do fundo das sepulturas para o lençol freático e 5 m da área de sepultamento para o limite do cemitério.

A resolução do CONAMA também submete os cemitérios ao processo de licenciamento ambiental, abrindo a possibilidade de simplificação de padrões para cemitérios de pequenos portes com 500 jazigos, localizados em cidades com menos de 30 mil habitantes que não integram o complexo urbano metropolitanos.

A cidade de Curitiba foi a primeira a resolver estes problemas ambientais, passando a exigir análises básicas dos locais pelo departamento de geologia e de química da Universidade Federal do Paraná para avaliação mais técnica e concreta. O cemitério Parque São Pedro foi o primeiro a adotar as normas ambientais exigidas foi implantando um filtro biológico que impede o necrochorume de contaminar o solo. O cemitério recebeu o certificado ISSO 14001 tornando-se referencia atendendo á proposta do Estudo de Impacto Ambiental, sujo objetivo é oferecer um serviço ambientalmente seguro sem interferir no lençol freático.


VALENTIM SANTOS
Professor, Historiador e Sociólogo.
Valentim Santos:
| Este artigo ainda não foi avaliado | 0.
  1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  

BAB na TV Jangadeiro

Publicidade