" /> Bairro Antonio Bezerra. Com. Br - Sociedade sem noção
   
   

Pesquisa no Site

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Livro de Visitas

Nossa Cidade

Sobre o Site

Menu

Sociedade sem noção imag1
 Colunas BAB 
HomeColunas BABDependência Química • Sociedade sem noção

Dependência Química

Sociedade sem noção

Imprimir artigo Enviar este artigo para um amigo. 
Muitos têm alarmado que o mal do século XXI é a depressão e/ou a ansiedade. Porém, apesar de tanta gente padecer destas psicopatologias, considerada, e com razão, já uma epidemia, o que tem gerado esta doideira de tais formas de adoecimento? Uma gama de respostas nos são apresentadas, sem contudo, lograr-se um consenso.

E aí uma outra vertiginosa série de indicações, tanto para os que já destas padecem, bem como a fim de evitar que outros tantos adoeçam, igualmente são impostas. Façam atividades físicas regulares, meditem, adira a um credo religioso, tome medicações, evite estresse e muitas outras do gênero. É óbvio que tudo isso de fato, contribuem sim, para uma melhor saúde física e mental.

No entanto, as causas para tanto sofrimento reside no modelo de sociedade que prima pela aparência em detrimento da essência do ser. Como já bem pontuou, meu mui amigo, o escritor, Odailson da Silva: "somos seres desejantes dos desejos do outro (s). E eu lhe ratifico. Você faz o que gosta? Veste-se como quer? Frequenta os lugares que lhe dão bem-estar? Tem os amigos que quer ter? A primeira resposta de qualquer um é sim. Entretanto, lamento lhe decepcionar! A verdade é, na esmagadora maioria dos casos, peremptoriamente: não. Explico.

O proeminente sociólogo Émile Durkeim já assentia: "a sociedade exerce uma força de coerção sob o indivíduo, determinando sua forma de pensar, agir e sentir." É isso mesmo. Desde nossa mais tenra idade, somos impulsionados, convencidos daquilo que devemos buscar para ser ter felicidade.

Infelizmente, até mesmo as nossas escolas – lugar de educação dos homens -, trabalham pautadas neste desiderato. Vejo isso até no Judiciário onde nosso DEUS JUIZ , não gosta de ser chamado de SERVIDOR PÚBLICO , mas são SERVIDORES PÚBLICOS È FATO . .É só olhar e ver (nem todos veem, alguns apenas enxergam), que a escola de nossos tempos, consoante sua grade curricular e formação de seus docentes, tinham com pilar-mestra a formação ética, moral e até espiritual do homem.

Para tristeza nossa, todas faliram, principalmente os pais. Pais que reclamam depois de uma palestra porque o palestrante diz que filhos não tem quartos, e não tem mesmo ( pois filhos não pagam IPTU ) filhos usam os quartos das casas dos pais .Educaçao de pais preguiçosos. Estas foram substituídas pelas escolas-empresas, as que formam nossos crianças e jovens, apenas para passar no vestibular. Vejam os outdoors espalhados pela nossa cidade. Isto é ou não uma demanda de mercado, de supremacia do ter em detrimento do ser.

E sendo verdade, o que podemos esperar deste país, senão o nefasto, desumano e injusto quadro atual. As razões estão no esfacelamento dos laços afetivos, declínio das familiares, descrédito das instituições, inexistência de fé na política, falta de uma espiritualidade concreta, dentre outros. O mal do século é outro o mal é essa sociedade esquisita , tudo na base do politicamente correto ( que chatisse !)

Portanto, antes que me apontem, como uma pessimista ou prosélita deste, vou recorrer-me a um gênio brasileiro, Renato Russo, para discordar dos tais especialistas, concordando que o mal do século é a solidão. Nunca estivemos tão sós em meio a multidões. Temos milhares de amigos nas redes sociais, mas quando o sapato aperta não temos com quem contar, ou raríssimos a fim de demonstrar sua confessa amizade. No meu dia a dia escuto : Dra. Me sinto só! Pessoas que conseguiram tudo aquilo que lhe disseram ser garantia de uma vida feliz, mas sem sentir-se como tal e, sem sequer ter alguém de carne e osso e alma com quem partilhar.

O homem é um ser gregário, já sabiamente afirmou alguém. Assim, na célere e irrefreável revolução tecnológica e da informação, ou buscamos o afeto, ou continuaremos a nos manter adoecidos e adoecendo tantos outros. E se para depressão, insônia e ansiedade há remédios, para a solidão, o remédio e compartilhamento do que temos e, sobretudo, do que realmente somos: humanos!

Open in new window


.
Dependência Química:
| Este artigo ainda não foi avaliado | 0.
  1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  

Níver BAB

Publicidade

Colunas BAB

Por Rossana_Brasil

Só sei que nada sei...

15 May 2020
É a vida que de fato está em jogo. Aguardamos ansiosos a manchete, talvez de toda nossa história pós advento do Cristo: cientistas descobrem a cura para o novo coronavírus!
Por leonardofsampaio
Este é um instrumento que tem por finalidade divulgar produções literárias, poéticas, culturais e ambientais

Vende-se um açude!!!

16 Mar 2020
"...Pelo visto, não basta só se indignar, é necessário gritar, ou até acampar exigindo atitudes dos gestores públicos..."
Por VALENTIM

Os precursores da fotografia no Antônio Bezerra

27 Jan 2020
"...Outro foto bastante conhecido dos moradores de Antonio Bezerra foi o saudoso “Foto Iracema” pertencente inicialmente ao Luiz Magrinho, localizado na Rua Hugo Victor nº 44..."
Por Robson
Conteúdo sobre a RCC, Renovação Carismática Católica

O Bom Pastor!!!!!!

15 May 2020
O conceito da palavra “salvação” vem do grego sötëria de onde a tradução nos remete a cura, remédio. No latim, salus tinha um significado muito particular na época.