Paciência acima de tudo

Coluna: Dependência Química
Autor: Rossana Brasil

Andei por caminhos cheios de dificuldades, por caminhos maiores que minhas esperanças, por estradas onde a luz que refletia, mal dava para que eu pudesse enxergar a ponta dos meus pés, convive com pessoas esnobes , com valores diversos , respeitei mas me afastei , aprendi a me afastar das cobras venenosas de invejas .

Andei por caminhos sem sonhos, onde a noite se fazia distante dos meus olhos e o badalar da vida caminhava de forma lenta, cercado por uma tempestade da mais intensa solidão, sim solidão do barulho das crianças, da alegria dos amigos .

Fui buscar um pouco de paz, na certeza de que com minha fé fosse capaz de construir em pequenas doações da vida, um campo de alegria para que pudesse enfeitar os meus dias, de dentro de cada pessoa encontrei um pouco da alegria perene .

Vivi tormentas que embrulhavam em pacotes de dor a lágrima que circulava em minha face diante das desesperanças e das tristezas que ferem e magoam a tantos.

Num universo de bondades fiz de minhas mãos esperanças para os que, com dificuldades de prosseguir pudessem apoiar em meus ombros e juntos seguirmos adiante.

Porém, nunca é tão longo demais o caminho, para ir de encontro aos projetos que ficaram esperando sobre a mesa, e nem pequeno demais o lugar onde desejamos chegar.

Às vezes depositamos os nossos impedimentos no umbral da casa e desistimos de continuar a viagem, em que sempre paramos, para continuar a partir.

O tempo é capaz de mostrar por caminhos desencontrados a arte maior de achar o que deseja, pois ninguém vive o que pensa sem antes visualizar o que procura.

Devemos ter paciência aceitando com paz os silêncios, ausências que nos contornam as quais Ele submete-nos, porque é com o crisol do fogo onde se purifica o ouro.


Published:  26 Dec 2019