" /> Bairro Antonio Bezerra. Com. Br - JOÃO BERTOLDO DA MOTA
   
   

Pesquisa no Site

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Livro de Visitas

Nossa Cidade

Sobre o Site

Menu

JOÃO BERTOLDO DA MOTA imag1
Home / JOÃO BERTOLDO DA MOTA

JOÃO BERTOLDO DA MOTA

 

     JOÃO BERTOLDO DA MOTA. Filho de Januário Francisco da Mota e Úrsula Maria de Lima,nasceu em Pentecoste Ceará em 29 de março de 1880 e faleceu a 27 de março de 1974 em Antonio Bezerra,Fortaleza onde reside a maior parte de seus familiares.

    Casou-se com Úrsula Braga Cavalcante em 30 de dezembro de 1904,de quem era parente. Do casal nasceram três filhos: José,Maria e Nazaré. Viúvo em 19l5,achou conveniente casar-se com outra parenta,tambem de nome Úrsula cujo nome completo era Úrsula Teixeira Mota e que não teve filhos.

    Sertanejo, trabalhador e econômico,sobretudo sincero, bom conselheiro e chefe de família exemplar, dedicava com austeridade os momentos de sua vida à agricultura,pequenos labores de simples mão de obra e era feliz para ganhar dinheiro com seus grandes esforços no trabalho. Foi proprietário de diversos sítios e fazendas de criar gado e tinha como lema de vida apoiar o homem que trabalha, ou seja, o homem rural com seu rude labor.

    Católico romano,sabia escrever um pouco e lia bem. De folga das labutas do dia a dia,tinha por hábito ler as Sagradas Escrituras,que sabia quase tudo de cor e estimava comentar suas diversas passagens. Consagrava seu carinho e sua vida às crianças e indistintamente dedicava o afeto com todas e caritativo com as necessitadas de meios de sobrevivência. Tinha para com as crianças e animais domésticos - os dois grandes motivos de sua dedicação e ternura. Ao deparar-se com os últimos fazia logo gestos de agrado e nenhum resistia sem ficar domesticado ou lhe querendo bem. Não tomava bebida alcoólica nem café e apreciava sobretudo frutas,doces e leite.

    O que mais chamou a atenção de todos que o observaram no decorrer de sua vida, foram seus hábitos simples aliados a seu caráter humilde e humanitário. Nem só numa situação calamitosa de uma seca mas em qualquer ocasião em que se fizesse necessário sua ajuda material,colocava à disposição de quem o procurasse os recursos de que dispusesse. O homem que não sabia dizer "não" chegava a esgotar a um tempo as reservas de primeira necessidade indistinta e independentemente de retribuição em benefício do próximo a quem tanto amava. Viveu uma vida fazendo o bem, semeando bondades porque foi um homem bom.

(JOÃO BERTOLDO DA MOTA,visto por seu neto Francisco Adonias Mota).

 

Indique esta página a um amigo! Preparar para Impressão

Publicidade

Colunas BAB

Por Rossana_Brasil

Relações virtuais!

15 Apr 2021
Porém, após o advento do Whatsapp cada vez mais as pessoas sentem uma espécie de desconforto com os telefonemas...
Por Emanuel_Santos

Definitivamente: não é mais um número!!!

03 May 2021
É nesse contexto que me somo ao discurso daqueles que dizem que as vítimas do coronavírus não são somente números.
Por leonardofsampaio

Vende-se um açude!!!

16 Mar 2020
"...Pelo visto, não basta só se indignar, é necessário gritar, ou até acampar exigindo atitudes dos gestores públicos..."
Por VALENTIM

Das casas de Taipos aos Condomínios fechados.

20 Apr 2021
Com o passar dos tempos suas paredes foram substituídos por tijolos de cerâmicas, muito mais resistente e econômico.
Por Robson
Conteúdo sobre a RCC, Renovação Carismática Católica

Vamos ser julgados!

04 Jan 2021
...Olhe para você. Tens cuidado de você? Você é uma casa, comprada por um alto preço! Tens cuidado de você?...