" /> Bairro Antonio Bezerra. Com. Br - PráxisJor apresenta primeiros resultados de pesquisa sobre jornalismo independente do Ceará - Notícias Diversas - Notícias Novas
   
   

Pesquisa no Site

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Livro de Visitas

Nossa Cidade

Sobre o Site

Menu

PráxisJor apresenta primeiros resultados de pesquisa sobre jornalismo independente do Ceará - Notícias Diversas - Notícias Novas imag1
Notícias Diversas : PráxisJor apresenta primeiros resultados de pesquisa sobre jornalismo independente do Ceará
Enviado por BAB em 25/10/2020 11:00:00 () Notícias do mesmo autor

Os primeiros resultados de uma investigação coletiva que integra esforços entre centros de estudos em Comunicação e Jornalismo no Brasil, sob a liderança do CPCT-USP e em parceria com o Praxisjor-UFC, serão lançados em livro durante o 18º Encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor 2020), que este ano acontece de forma remota entre os dias 03 a 06 de novembro.

Também será realizada live para divulgar a obra, que reúne reflexões, dados e análises referentes à primeira fase da pesquisa "Arranjos alternativos de jornalismo no Ceará: relações de comunicação e condições de trabalho", desenvolvida entre novembro de 2019 e maio de 2020.

Open in new window



O livro está disponível para acesso gratuito no repositório da Universidade Federal do Ceará (http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/54543) e a pesquisa coletiva encontra-se na segunda fase, marcada pela realização de entrevistas com os jornalistas trabalhadores dos arranjos cearenses.


O estudo é um desdobramento da pesquisa iniciada pelo Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT) da Escola de Comunicação e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), sob coordenação da professora Roseli Fígaro. Na esteira dos estudos do CPCT, o grupo de pesquisa Práxis no Jornalismo (PráxisJor), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e ao Curso de Jornalismo da UFC, foi a campo para identificar as relações de comunicação e as condições de produção no trabalho jornalístico em arranjos alternativos às grandes corporações de mídia no Ceará.


O exercício do jornalismo profissional no Brasil tem enfrentado, especialmente nos últimos anos, adversidades de ordem estrutural, financeira e trabalhista, entre outras. Estima-se que metade dos municípios brasileiros, muitos deles localizados no interior das regiões Norte e Nordeste, não possuam nenhum veículo de imprensa, caracterizando os chamados desertos de notícias. Nos centros urbanos, em que se verifica maior variedade de produtos e instituições jornalísticas, as injunções financeiras, sobretudo no tocante à queda de receitas e circulação, apontam para um cenário de precarização das condições de trabalho dos(as) jornalistas e de escassez de postos de trabalho formais nas redações de grandes veículos jornalísticos.


Em paralelo a esse cenário, muitos jornalistas brasileiros se arranjam em coletivos de trabalho, utilizando plataformas e ferramentas digitais para produzir o jornalismo em que acreditam de modo independente às grandes corporações de mídia.


Achados


O estudo local consistiu no mapeamento de 63 arranjos alternativos de trabalho no jornalismo no Ceará, bem como a coleta e análise de autodeclarações presentes em sites institucionais dessas iniciativas. A maioria dos arranjos se localiza em Fortaleza e funciona por meio de plataformas digitais, como redes sociais, ou com sites próprios na web.


Entre os resultados encontrados estão a presença da regionalidade como um marcador para o trabalho jornalístico de muitos arranjos cearenses e a centralização de alguns perfis das iniciativas em torno de um autor e de sua trajetória jornalística, caracterizando o que a pesquisa identificou como o fenômeno "autor(a)-arranjo".


O relatório foi redigido e organizado pelos pesquisadores Rafael Costa, professor do curso de Jornalismo da UFC; Naiana Rodrigues, professora do curso de Jornalismo da UFC e pesquisadora do CPCT (ECA-USP); Mayara de Araújo, doutoranda no PPGCOM-UFC e Raphaelle Batista, mestranda no PPGCOM-UFC. Os demais pesquisadores do Praxisjor colaboraram para a coleta e organização dos dados da pesquisa, sob a coordenação do professor Edgard Patrício, coordenador do PPGCOM-UFC e professor do Curso de Jornalismo da UFC.


Uma live será realizada, no dia 29 de outubro, às 18 horas, com o propósito de divulgar o relatório para o público em geral, no canal do Curso de Jornalismo da UFC. Os autores do relatório vão apresentar e debater os principais resultados apresentados no livro e também as perspectivas para as etapas seguintes da pesquisa.


Desde 2017, o PráxisJor se dedica a estudar as transformações no jornalismo contemporâneo tendo como pontos focais a credibilidade, a qualidade, as plataformas e linguagens e a identidade profissional. A pesquisa dá prosseguimento a essa agenda que acolhe as preocupações com os desígnios da profissão, buscando mapear, de forma inaugural, os arranjos de jornalismo alternativos às corporações de mídia no Ceará, a partir da compreensão de como se configuram, quem são os sujeitos responsáveis por esses arranjos e que práticas jornalísticas são levadas a termo nessas iniciativas.


Serviço

Relatório "Arranjos alternativos de jornalismo no Ceará: relações de comunicação e condições de trabalho - Fase 1", do Grupo de Pesquisa PráxisJor (UFC)

Organização, interpretação de dados e redação do relatório: Rafael Rodrigues da Costa (PráxisJor-UFC), Naiana Rodrigues da Silva (CPCT-ECA-USP/PráxisJor-UFC), Mayara Carolinne Beserra de Araújo (PráxisJor-UFC) e Raphaelle Christine Batista de Lima (PráxisJor-UFC)

120 páginas

Disponível em http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/54543

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Publicidade

Colunas BAB

Por Rossana_Brasil

Relações virtuais!

15 Apr 2021
Porém, após o advento do Whatsapp cada vez mais as pessoas sentem uma espécie de desconforto com os telefonemas...
Por Emanuel_Santos

Definitivamente: não é mais um número!!!

03 May 2021
É nesse contexto que me somo ao discurso daqueles que dizem que as vítimas do coronavírus não são somente números.
Por leonardofsampaio

Vende-se um açude!!!

16 Mar 2020
"...Pelo visto, não basta só se indignar, é necessário gritar, ou até acampar exigindo atitudes dos gestores públicos..."
Por VALENTIM

Das casas de Taipos aos Condomínios fechados.

20 Apr 2021
Com o passar dos tempos suas paredes foram substituídos por tijolos de cerâmicas, muito mais resistente e econômico.
Por Robson
Conteúdo sobre a RCC, Renovação Carismática Católica

Vamos ser julgados!

04 Jan 2021
...Olhe para você. Tens cuidado de você? Você é uma casa, comprada por um alto preço! Tens cuidado de você?...